Arquivo para a categoria ‘Livros adotados em 2010’

Anúncios

Livros Indicados em 2010

” É que eu sempre usei livro pra tudo: pra saber ler, pra altear pé de mesa, pra aprender a usar a imaginção, pra enfeitar sala, quarto, a casa toda, pra ter companhia dia e noite, pra aprender a escrever, pra sentar em cima, pra rir, pra gostar de pensar, pra ter apoio num papo, pra matar pernilongo, pra travesseiro, pra chorar de emoção, pra firmar prateleira, pra jogar na cabeça do outro na hora da raiva, pra me-abraçar-com, pra banquinho pro pé, eu sempre usei livro pra tanta coisa, que a coisa que mais me espanta é ver gente vivendo sem livro.”   

  

(BOJUNGA, Lygia, 1999 apud Ribeiro, Jonas, Colcha de retalhos…unindo amores alinhavando leitores. São Paulo: Elementar, 2002.)   

  

    

  

Buscando incentivar o gosto pela leitura e desenvolver habilidades de escrita, argumentação e compreensão de textos, muitos livros são indicados e trabalhados ao longo do ano. Neste post serão divulgados os livros adotados na área da literatura e as séries correspondentes.   

  

Indicações 2010:

2ª EF

 

Os problemas da família gorgonzola, Eva Furnari, Ed. Global 

 

Todo mundo tem problemas. A família Gorgonzola, seus parentes e amigos também têm. Só que são problemas sujos, imundos. Você tem coragem de botar a mão para resolvê-los? É um desafio.

Eu adoro, mas meus pais… Guila Azevedo, Larousse Junior.  

3ª EF

 

As cores de Laurinha, Pedro Bandeira, Ed. Moderna   

 

O Dia das Mães está próximo e Laurinha quer dar uma linda bolsa para a mãe. Mas a menina está ainda na primeira série e não tem como comprar o presente. Como conseguir dinheiro? Acontece que Laurinha fazia belos desenhos. E, daí, uma linda ideia surgiu na sua cabecinha… Esta é a história do amor de uma menina por sua mãe, feita para emocionar adultos e crianças!   

4ª EF

 

O Saci, Monteiro Lobato – Ed. Globo.   

   

“Mais uma vez de férias no Sítio do Picapau Amarelo, Pedrinho se aventura pelos mistérios do assombrado Capoeirão dos Tucanos na companhia do Saci. Juntos, eles vêem de perto os principais mitos do folclore brasileiro, como a Porca dos Sete Leitões, a Cuca e o Boitatá”.   

5ª EF

 

Fábulas de Esopo – Coleção Recontar, Ivana Arruda Leite – Ed, Escala Educacional   

   

“Há mais de 2.500 anos divertindo e educando crianças e adultos, as eternas fábulas de Esopo revelam, numa linguagem clara e direta, a moral universal do senso comum”.    

Minha primeira paixão, Elenice Machado de Almeida e Pedro Bandeira – Ed. FTD   

   

“Frida e seus cachinhos ruivos. Pimpo e seus óculos de aros pretos. Frida sentada na carteira à frente de Pimpo, na sexta série. Uma implicância feroz nasce imediatamente entre os dois. Provocação: “Batata-frida!”, “Cara-de-coruja!”. Da provocação, os dois partem para a guerra aberta. Até que eles começam a sentir que quem implica muito com o outro é porque se importa com essa pessoa, é porque gosta dessa pessoa.
Esta história começou a ser escrita por Elenice Machado de Almeida. Mas uma doença foi mais forte do que o amor de Elenice pela vida. Junto com a saudade, Elenice deixou os cinco primeiros capítulos deste livro. Pedro Bandeira tomou para si essa paixão, o nascimento do amor entre jovens, e completou esta linda história.”
   

Príncipe Kincas e a grande Pirâmide de alimentos, Myriam Moreira Milano – Razão Bureau editorial. 

 

 

Este é um livro de educação nutricional infantil que mostra, através de uma divertida estória a importância da alimentação equilibrada. Pode ser utilizado por pais e professores na orientação nutricional. No discorrer da história, são apresentadas várias atividades para serem desenvolvidas com a criança.
 

6ª EF

 

1º Trimestre:

 

O que eu posso fazer?, Tânia Alexandre Martinelli – Ed. Atual   

   

“Naquela noite, o ônibus em que Thiago está é assaltado por dois jovens. Um deles é morto por um policial à paisana que estava entre os passageiros e o outro é preso. Após presenciar tanta violência, Thiago passa a se questionar sobre o que poderia ser feito para que outros meninos não tivessem o mesmo destino dos dois assaltantes.”   

O Pequeno Príncipe, SAint Exupery – Ed. Agir – (Educação para o pensar)   

   

“Por meio de uma narrativa poética, o livro apresenta uma visão de mundo e mergulha no próprio inconsciente, reencontrando a criança de cada um de nós.”   

Quando meu pai perdeu o emprego, Wagner Costa – Ed. Moderna   

   

Pepê, Beto, Ju e Carol: quatro irmãos acostumados a morar em casa com piscina, freqüentar colégios caros e clubes elegantes e ganhar presentes caríssimos. Então, o pai perde o emprego, e, sem dinheiro, a família tem de abrir mão de tudo: sítio, casa, carros. O que passa pela cabeça das crianças? Será que podem ajudar ou não vão se conformar com a nova situação?   

A guerra do tênis nas ondas do rádio, Wagner Costa – Ed. Moderna   

   

O livro A guerra do Tênis nas ondas do rádio versa sobre um grupo de estudantes que se envolve na investigação de um roubo de tênis de um dos colegas que, baleado, corre risco de vida. O fato, ao ser noticiado em um programa de rádio de forma sensacionalista, aterroriza a população, provoca uma onda de violência, destila o preconceito e o ódio social contra a população de baixa renda, estimulando a defesa inflamada da pena de morte. As investigações do crime vão mostrar a relação entre o uso indevido de drogas e o crime organizado, apontando como responsáveis cidadãos acima de qualquer suspeita. Como diz o velho ditado: as aparências enganam.   

Sonata ao luar, Álvaro Cardoso Gomes, Ed. FTD   

    

Neste livro Fábio achava que a sua vida era a coisa mais sem graça e monótona. Era. Porque quando o primo Júlio, expulso do colégio interno, vai passar férias em Rio Bonito a aventura não tem mais fim. Pinta até um mistério – a casa da usina e seu estranho morador que não deixa ninguém, absolutamente ninguém chegar perto de sua mansão.    

2º Trimestre:

 

Machado e Juca, Luiz Antônio Aguiar, Ed. Saraiva   

   

No Rio de Janeiro do final do século XIX, o garoto Juca e o escritor Machado de Assis tentam desvendar o desaparecimento de uma mulher.
Ao transformar o próprio escritor em personagem, […] Luiz Antonio Aguiar brinca de ser Machado e bota o bruxo na berlinda […] No final das contas, para além do mistério do desaparecimento de Tiago Matacavalos, uma outra questão vai intrigar o leitor: quem era, afinal, o sisudo presidente da Academia Brasileira de Letras?
   

Coleção Reencontro Juvenil, Ed. Scipione   

Dom Quixote, Miguel de Cervantes   

   

Na aldeia espanhola da região da Mancha, vive Dom Quixote, um fidalgo apaixonado por livros de cavalaria. Em suas fantasias, acredita ser um cavaleiro andante e que uma camponesa é sua amada – Dulcinéia. Arma-se como um cavaleiro e parte em busca de aventuras na companhia de seu fiel escudeiro, Sancho Pança, um lavrador vizinho. A intenção de Cervantes era satirizar os romances de cavalaria, mas acabou retratando o perfil do homem, dividido entre a realidade e a fantasia.   

O príncipe e o mendigo, Mark Twain   

   

A história passa-se na Inglaterra, no século XVI. Tom Canty, um menino muito pobre e cheio de imaginação, consegue entrar no palácio real. Encontra Edward, o príncipe de Gales, e ambos descobrem que são bastante parecidos. Trocam de roupas e vêem que não há diferença entre eles. Edward, então, sai do palácio com as roupas de Tom, mas não consegue voltar, pois ninguém o reconhece. O mendigo passa a ocupar seu lugar como príncipe. Qual será o final dessa aventura? Alguém os reconhecerá?   

O Rei Artur e os cavaleiros da távola redonda, Thomas Malory   

   

A lenda do rei Artur tem origem na literatura galesa do século V. Filho de Uther Pendragon, rei da Inglaterra, e de Igraine, duquesa de Tintagil, da Cornualha, Artur foi concebido graças aos estratagemas do mago Merlin. Ainda jovem, torna-se rei por ter conseguido tirar a espada mágica Excalibur de uma pedra. Mais tarde, casa-se com Guinever e instala sua corte em Camelot, onde está a Távola Redonda. Ali se reúne com seus 150 cavaleiros, que empreendem a busca do Santo Graal – o cálice que Cristo teria usado na última ceia.   

Romeu e Julieta, William Shakespeare   

   

Em Verona, por volta de 1600, a rivalidade entre as famílias Montecchio e Capuleto acentua-se e os conflitos estendem-se a parentes e criados. Em um baile de máscaras, Romeu Montecchio conhece Julieta Capuleto. A paixão é mútua e instantânea. Ao descobrir que pertencem a famílias inimigas, os dois se desesperam. Resolvem casar-se secretamente. No entanto, o destino reserva um final trágico para esses amantes, na história de amor mais famosa de todos os tempos.   

3º Trimestre:

 

Com o coração do outro lado do mundo, Tânia Martinelli, Ed. Saraiva   

   

Os pais de Laís foram trabalhar no Japão para tentar dar uma vida melhor à filha. A ela só restou aceitar a decisão – por dois anos viveria com os avós, longe dos pais. Qual foi a reação dela? Como lidar com tantos sentimentos novos e ainda ter de se adaptar a uma nova vida?    

Dias de susto, Elias José, Ed. Paulus   

   

‘Dias de susto’ começa com duas histórias paralelas e com dois personagens marcantes – Donana, uma doceira famosa em Minas, e Nino, um estudante e jornaleiro paranaense, que empolga os compradores de jornais com sua alegria e espalha seu carisma e talento para música por onde passa. Numa reviravolta, as duas histórias e seus personagens se cruzam. O que antes era alegria e som gostoso de ouvir, vira problema, dor de cabeça e oportunidade para Nino se transformar. O que antes eram doces e licores da melhor qualidade, vira drama amargo, violência e mistério policial. O anônimo jornaleiro vira personagem de destaque nos grandes jornais. E o que acontece com a doceira? Só lendo a novela para se encantar e viajar com a leitura de um livro envolvente e cheio de humor, mistério, emoção, poesia e suspense.    

Coleção Os Karas, Pedro Bandeira, Ed. Moderna   

A droga do amor   

   

O amor por Magrí significará o fim da turma dos Karas? Um cientista americano, que havia criado a cura para a praga do século, o mal que transforma o amor em morte, é sequestrado no Brasil. Magrí e Chumbinho tentam reunir a turma secreta dos Karas para investigar esse crime tão tremendo para a humanidade. Mas Miguel, Calu e Crânio, por não quererem disputar entre si o amor por Magrí, decidem terminar com os Karas! Para agravar a situação, o Doutor Q.I., o rei dos criminosos, foge da Penitenciária de Segurança Máxima!. Magrí, a única menina da turma, é quem afronta todos os riscos para desvendar essa trama.    

Pântano de sangue   

   

O crime organizado ronda o Pantanal. Miguel, Crânio, Calu, Magrí e Chumbinho envolvem-se com o crime organizado que está agindo no Pantanal de Mato Grosso, liderado pelo misterioso e implacável Ente. Neste enredo de suspense, discute-se a destruição dos jacarés, dos índios e da natureza em um dos últimos lugares do mundo que ainda poderia ser chamado de Paraíso Terrestre. Crânio, o geninho dos Karas, é quem terá de arrastar os amigos em sua missão. Esse é mais um trabalho para os Karas – o avesso dos coroas, o contrário do caretas.    

7ª EF

1º Trimestre

 Antes que o mundo acabe, Marcelo Carneiro da Cunha – Ed. Projeto   

   

“Trama que conta a história de um pai que deseja reconstruir a relação com seu filho adolescente, de uma forma inusitada – à distância, através de cartas e fotos, que falam do (seu) mundo. Como pano de fundo para a narrativa ficcional, o autor lança mão de fatos históricos e dados da realidade, abrindo caminho para uma reflexão sobre a globalização.”   

Através do Espelho, Josten Gaarder, Cia das letras   

    

Do mesmo autor de O mundo de Sofia, essa é a história de Cecília Skotbu, uma menina que vive intensamente. As coisas que vai aprendendo ela anota num caderninho. Ali ela escreveu, por exemplo: “Nós enxergamos tudo num espelho, obscuramente. Às vezes conseguimos espiar através do espelho e ter uma visão de como são as coisas do outro lado. Se conseguíssemos polir mais esse espelho, veríamos muito mais coisas. Porém não enxergaríamos mais a nós mesmos”. Cecília passa quase o tempo todo em seu quarto, deitada na cama. Ela está morrendo. Sua história é uma preparação para a morte e por isso é também um mergulho na vida. Ela morre como quem viaja, prestando atenção em tudo. Através de seu olhar profundo, o outro lado do espelho se torna um pouco mais claro para nós.
Presas na teia, Rosana Hermann, Ed. Moderna   

   

André é um adolescente como tantos outros, que enfrenta gozações diárias, tentando sobreviver a comentários que machucam mais do que agressões físicas. Quando sua masculinidade é questionada, decide fazer alguma coisa para conquistar o respeito dos colegas. Como poderia imaginar, porém, que a divulgação de uma foto teria conseqüências tão sérias?Em “Presas na teia”, Rosana Hermann tece vários fios narrativos para contar a história desse adolescente que, sem se dar conta dos limites entre público e privado, vê-se enredado em uma teia de dilemas éticos.
 
A colina Sagrada, álvaro Cardoso Gomes, Quinteto Editorial
 
 
Uma história de espionagem e suspense dividida em dois tempos – a ação se passa, primeiro, no final da Primeira Guerra Mundial, em 1918, na Alemanha e no Brasil; em seguida, há um salto de vinte anos, e o leitor se vê envolvido em uma perigosa trama em plena Amazônia. O enredo é desencadeado por misteriosas atividades na região da Colina Sagrada, localizada nas proximidades do rio Jauaperi, uma região cheia de mistérios.
 

2º Trimestre

Dona Casmurra e Seu Tigrão, Ivan Jaf, Coleção Descobrindo os Clássicos – Ed. Ática 
Barrão é lutador de jiu-jítsu – passa os dias na academia esculpindo os músculos. Impulsivo e ciumento, ele entrou numa fria; agrediu um homem com quem imaginava que a namorada o traía. Por isso, perdeu a namorada, a confiança dos pais e responde a inquérito policial. Para piorar, vai muito mal no colégio e corre o risco de levar bomba. Mas talvez ele ainda consiga limpar a própria barra lendo Dom Casmurro, célebre romance de Machado de Assis e assunto da prova de fim de ano. Para enfrentar esse desafio, Barrão vai contar com a ajuda de Lu, uma estagiária zangada e esquisitona que trabalha na biblioteca do colégio. Juntos, eles lerão o clássico machadiano sobre o ciúme, aprendendo algo sobre a dinâmica desse sentimento em relação à estrutura social do Brasil no século XIX.
 
Dez dias de cortiço, Ivan Jaf, Coleção Descobrindo os Clássicos – Ed. Ática

 

Logo depois de completar 50 anos, Eduardo, entediado editor de um grande jornal carioca, entra em crise e abandona tudo para realizar um sonho de juventude – escrever um livro-reportagem a partir do romance O cortiço, de Aluísio Azevedo. Aluga por dez dias o apartamento de um dos porteiros do prédio onde mora, levando seu filho Sérgio. No prédio, Sérgio conhece uma realidade social diferente da sua e se aproxima do pai, praticamente um estranho até então. Eduardo, por sua vez, redescobre um idealismo que há muito lhe parecia perdido.

O mistério da casa verde, Moacyr Scliar, Coleção Descobrindo os Clássicos – Ed. Ática  

Procurando um lugar para reunir sua turma, quatro jovens amigos entram em uma casa abandonada onde vive um homem que parece ser O Alienista, de Machado de Assis.
Ataque do comando P. Q., Moacyr Scliar, Coleção Descobrindo os Clássicos – Ed. Ática 
 
De repente, os computadores da prefeitura de Curuzu passam a exibir estranhas mensagens inspirados em Policarpo Quaresma, famoso personagem de Lima Barreto. O prefeito suspeita que se trata de uma jogada política para desmoralizá-lo. Para tentar desvendar o mistério, convoca o jovem Caco, especialista em informática.
Câmera na mão, O Guarani no coração, Moacyr Scliar, Coleção Descobrindo os Clássicos – Ed. Ática 
Um grupo de adolescentes participa de um concurso de vídeo filmando o clássico ‘O Guarani’, de José de Alencar.
O monge e o executivo, James C. Hunter, Sextante
Leonard Hoffman, um famoso empresário que abandonou sua brilhante carreira para se tornar monge em um mosteiro beneditino, é o personagem central desta envolvente história criada por James C. Hunter para ensinar de forma clara e agradável os princípios fundamentais dos verdadeiros líderes.
  

8ª EF

O menino do pijama listrado, John Boyne – Ed. Cia das letras  
   
“Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os Judeus. Também não faz idéia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. “O Menino do Pijama Listrado” é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.”   
A revolução dos bichos, George Orwell   
     
“Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século 20, ‘A revolução dos bichos’ é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos. Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista. “     
Lais de guia, Viviane Dexheimer Gil, Ed. Vivilendo     
     

Mudanças levam desconhecidos a se unirem por algo que os entrelaça como uma rede. Como um nó. Essas mudanças podem acontecer nas areias misteriosas da Ilha Sozinha ou no relativo tédio de um ônibus no meio da estrada. Elas podem acontecer com adultos e também com crianças. Com pessoas reais e pessoas que só existem no imaginário de quem conta ou ouve uma história. O que se sabe é que todas essas diferenças não significam muito, já que estão todas enredadas em algo muito mais complexo, numa teia que as envolve. Basta saber quais permanecerão firmes, e quais se desatarão ao fim de ‘Lais de guia’, o novo romance de Viviane Dexheimer Gil.

O fazedor de velhos, Rodrigo Lacerda, Cosac Naify

Rodrigo Lacerda narra neste livro a passagem de Pedro para a vida adulta. O adolescente descobre que a vida pode não ser tão doce quanto a primeira paixão, e encontra na literatura um caminho para buscar suas respostas. Mas o que torna ‘O Fazedor de Velhos’ uma novidade do gênero é sua capacidade de reavivar a ternura e o afeto como sentimentos que também participam do processo de amadurecimento. Neste romance de iniciação, Rodrigo traça o retrato de um artista quando jovem. O personagem Pedro tem dúvidas sobre seus caminhos, o que o leva a pensar em desistir da faculdade de História. Eis que conhece Nabuco, um professor que o auxilia na difícil tarefa de se colocar no mundo. E por meio dos livros conhecerá a si mesmo. Sobretudo quando aparece Mayumi, por quem sentirá uma nova forma de amor.
     

1ª EM

Mario Quintana de bolso, Editora L&PM     

     

Coletânea de poemas de Mário Quintana, o poeta que soube pintar a vida com fina ironia e até sarcasmo, sem abrir mão de seus sentimentos e emoções mais singelas. Os poemas aqui incluídos foram selecionados de diversos livros publicados ao longo da vida do poeta.  

O filho eterno, Cristóvão Tezza – Record     

     

Em “O Filho Eterno”, Tezza expõe as dificuldades, inúmeras, e as saborosas pequenas vitórias de criar um filho com síndrome de Down. Aproveita as questões que aparecem pelo caminho nestes 26 anos de seu filho Felipe para reordenar sua própria vida: a experimentação da vida em comunidade quando adolescente, a vida como ilegal na Alemanha para ganhar …

2ª EM

Lucíola, José de Alencar     

     

“Na melhor tradição romântica, Lucíola é um livro onde se debatem paixões tórridas e contraditórias. O amor que não resiste às barreiras sociais e morais. Assim é o romance da bela Lúcia, a mais rica e cobiçada cortesã do Rio de Janeiro, e Paulo, um jovem modesto e frágil. Um romance que sacode a corte e provoca um excitado burburinho na sociedade. De um lado a mulher que, sendo de todos, jurava não prender-se a nenhum homem, de outro o homem em dúvida entre o amor e o preconceito.José de Alencar utiliza este instigante argumento para descrever a enorme atração física entre um homem e uma mulher. A pena moralizadora do escritor busca a idealização espiritual da prostituta que quer se modificar e a alma pura de Paulo cuja amor arrebatador supera todas as barreiras. Lucíola é um dos mais curiosos trabalhos de José de Alencar. Há nele um clima de sensualidade constante combinado com o ardor e sofrimento, bem no clima da literatura romântica que predominava na segunda metade do século passado quando foi escrito este romance”.     

Sugestões:

Principal obra da fase romântica de José de Alencar, Lucíola recebe uma edição amplamente comentada pela professora Márcia Ivana e Silva, da UFRGS, através da editora: Leitura XXI, desvendando elementos envolvidos na compreensão desse texto que é presença obrigatória em dezenas de vestibulares brasileiros.     

A obra encontra-se em domínio público:     

http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=2047  

Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis, várias editoras.

   

O narrador-protagonista do livro é um homem oriundo da elite brasileira do século XIX, que nunca trabalhou e nada criou ao longo da vida. Uma vez morto, ele decide repassar a própria existência. Com sua voz saída da morte, Brás Cubas não poupa nada nem ninguém do seu olhar deliciosamente irônico. Provo­cativo, inteligente ao mais alto grau e hilariante, Memórias pós­tu­mas – romance que colocou a literatura brasileira no patamar das maiores do mundo – também revela, como poucas obras, as mais obscuras engrenagens da sociedade brasileira.

Em Memórias póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis constrói na figura de um “defunto-autor” e não um “autor-defunto” – como bem se define o próprio Brás Cubas –, o motivo central de sua crítica à sociedade, pois estando distanciado do mundo dos vivos, o morto Brás Cubas destrói, a partir de suas relações socias, a sociedade do Brasil do século XIX, com seus vícios, seu parasitismo e suas mesquinharias.

3ª EM

O Uraguai, Basílio da Gama, Ed. L&PM     

     

“Pelo tratado de Madri, firmado entre Portugal e Espanha, em 1750, a Colônia dos Sete Povos das Missões do Uruguai, pertencente à Espanha, deveria passar a ser de Portugal, que, como contrapartida, cederia à Espanha sua Colônia do Santíssimo Sacramento. Ocorreu que no momento de ser posta em prática esta cláusula do tratado, os índios que habitavam os Sete Povos das Missões, orientados pelos jesuítas, se negaram a passar para o domínio dos portugueses. Por isso, em 1752, organizou-se uma expedição militar, integrada por portugueses e espanhóis, para submeter jesuítas e índios. Sob o comando de Gomes Freire de Andrade, Conde de Bobadela, as tropas guerrearam até 1756, sem o sucesso esperado. O poema épico ‘O Uraguai’ descreve esse episódio”.     

Sugestões:

Livro que em breve se tornará um clássico para uma melhor compreensão do poema épico de Basílio da Gama. Edição integral amplamente comentada pelo professor Paulo Seben, da UFRGS lançado pela Editora Leitura XXI.     

A obra encontra-se em domínio público:     

http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=2106